Posts Tagged 'Fanfarronice'

O Meia Hora nosso de cada dia

Alguém, em algum lugar do mundo, certa vez, disse: “Informação é tudo”. Você concorda comigo. Mesmo sem saber quem foi que disse, aonde e quando, assim como eu. Mas concorda. E neste mundo hiper veloz, interligado e conectado que vivemos hoje, o problema é justamente o excesso de informação, e em decorrência disto, conseguir separar o joio do trigo, encontrar informação de qualidade. No Rio de Janeiro essa tarefa é um pouco mais fácil.

Os cariocas, amantes da juventude e do esporte, são privilegiados. Além de sair do trabalho e dar uma esticada pra praia pra bater um futvôlei, quando eles passam pela banca de jornal se deparam com o “Meia Hora”. Se você sabe o que é o meia hora, parabéns. Se você não sabe, calma, eu explico.

O “Meia Hora” é o melhor jornal do mundo. Essa é uma boa descrição. Ele só aborda os fatos realmente importantes pra sua vida, com ênfase na Guerra do Tráfico. E além de tratar apenas desses temas fundamentais, a linguagem é maravilhosa. Se eu ficar descrevendo muito, vou acabar escrevendo um livro. Então melhor ficar quieto. Dá uma olhadinha na capa de hoje, 15 de Julho de 2009.

Red Bull sem Asas

Pra você, que achou um barato, mas não é carioca e tem uma preguiça de viajar até o Rio todo dia de manhã (ou de entrar na página do jornal), o Mera Doxa assume o compromisso de analisar todas as capas, todo santo dia, e trazer pra você, leitor assíduo do blog (oi, Mãe!) os destaques desta obra de arte da comunicação em massa.

Anúncios

Grandes Ídolos do Futebol III – Renato Portaluppi

Sou tricolor de coração. Sou do clube tantas vezes campeão. E estes dois últimos anos têm sido fenômenais para a torcida pó-de-arroz: em 2007, a Copa do Brasil; em 2008, final da Copa Libertadores da América (por enquanto!) e a chance de ir para o Mundial Interclubes, e quem sabe enfrentar o poderoso Manchester United, de Cristiano Ronaldo. O duelo do século: C.R. x F.H. Como diz o outro, “Haja coração”!
Mas de todos os ídolos desta empreitada, destaca-se ele, o maior, o mestre, o ídolo, aquele a quem eu imitava quando ia jogar futebol aos 8 anos de idade usando uma faixa no cabelo com seu nome escrito (é verdade), o senhor é meu pastor, o galã, o divino: Renato Gaúcho.

Renato Gaúcho é Deus. Não preciso falar de seus títulos. Não preciso falar de suas artilharias. Não preciso falar do gol de barriga. Aliás, não preciso falar nada. Ele diz tudo.

E você acha que isso é pouco, né? Então toma essa na cara:


Hoje em dia fanfarronice é comemorar gol dançando o créu. Beginners.
Renato Gaúcho, o Maior Fanfarrão de Todos os Tempos.

Au revoir!

Totó Radical

E eu que achava que era casca-grossa tomando leite com manga. Esse cãozinho me deixou no chinelo. Radicalizou geral.

Uuuuhl!

Teletroscópio

Se eu disser para você, amigo-lhes, que existe um túnel no fundo do Oceano Atlântico que vai de Nova York até Londres, você dirá “nhé”. Se eu disser, então, que além do túnel, existe um determinado equipamento ótico instalado em cada ponto do túnel, um na Tower Bridge e outro na Ponte do Brooklyn, que permite enxergar através de toda esta distância, você dirá “nhé nhé”. Mas para acabar com o “nhé nhé nhé”, acredite, junco pueril, existe tal artefato.
Há alguns anos atrás, um artista que atende pelo nome de Paul St George descobriu uma série de documentos de um tal Alexander St George, engenheiro vitoriano, seu tataravô. Os documentos descreviam uma estranha máquina que funcionaria para ampliar imagens através de um complexo sistema de lentes. A idéia do tal Alexander teria surgido após uma turbulenta viagem marítima de Nova York para Londres. Ele teria sonhado em construir um túnel para viagens intercontinentais, idéia substituída pelo projeto de “viajar sem sair do lugar”. Daí começou a construção do Teletroscópio.

O velho Alexander passou o resto de sua vida numa obsessiva empreitada, mas morreu sem ver sua obra completa. Seu tataraneto fanfarrão, Paul, após descobrir os planos do avô, teve êxito na conclusão do projeto, e desde maio deste ano, o Teletroscópio está aberto ao público londrino e nova-iorquino.

Web-cam no MSN é para os fracos. Saiba mais no site oficial.

Au revoir!

O fim do Playball

Você, peladeiro de final de semana, craque do escritório, fenômeno do almoxarifado, está cansado de mostrar seus dotes futebolísticos em gramados pequenos e sem glamour? Você nasceu em berço de ouro e está entrando em depressão por não ter mais onde gastar seu dinheiro? O futebol europeu perde muito por não te ter brilhando pelas terras de além-mar?

Pois a chance de mostrar seu valor enfim surge diante de seus pés! Chega de praia! Chega de society! Bernabeu, aí vou eu!


É, mané, seus olhos não estão te traindo. Pela pequena bagatela de 6 mil euros (aproximadamente 15 mil reais), você e o resto do Rua de Baixo FC poderão trocar passes no mesmo gramado consagrado por Di Stefano, Zidane e Robinho. O Real Madrid passou a alugar seu estádio, pelo menos até o início da próxima temporada, para todos aqueles a quem interessar possa. O objetivo é conseguir um rendimento razoável até a próxima troca de gramado da casa merengue. Se você, brazuca, se interessou, junte seus amiguinhos, pague a passagem de mais ou menos 4 mil reais, vista o meião e a chuteira e bola pro mato que o jogo é de campeonato!


Au revoir!

São Paulo apresenta novo reforço

Final do Campeonato Paulista, a Copa Libertadores já começa a rumar para sua conclusão e o Campeonato Brasileiro se inicia. No meio do festival de competições, a torcida do tricolor do Morumbi já começa a se perguntar: o que será do São Paulo quando o Imperador Adriano voltar para a Itália, no início do segundo semestre? Quem será o matador tricolor? Quem irá levantar o torcedor nas arquibancadas? Quem será o dono da imortal camisa 10? Nem mesmo o próprio Adriano aguenta a espera! (vide foto)
Te acalma, torcedor tricolor. Suas expectativas serão superadas. Força, ginga, alegria, magia, carisma. Eis as características do novo camisa 10. Se você espera por Cristiano Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho ou pela volta de Kaká, se enganou. Melhor que isso, no último dia 10, o São Paulo apresentou o seguinte reforço:



“Vamos pra Tóquio! Todos! Comigo!”

O Marketing e o Forró

Se você é do Sudeste é bem provavel que nunca tenha ouvido falar em um fenômeno musical que a cinco anos está estourado no Nordeste. Sem gravadora, com um método de divulgação que faz da pirataria um aliado e com dois gordinho carismáticos cantando sucessos mela-cuecas repletos de duplo sentido, a banda cearense Aviões do Forró faz em média 20 shows por mês (em junho, mês dos festejos juninos, chega a mais de 40) lotado de milhares de fãs (já se teve shows com mais de 150 mil pessoas).

Xandinho e Solange estão longe dos padrões estéticos das grande estrelas do país, mas suas simpatias aliadas com a força do mascote da banda, o pop-star nordestino e baterista Riquelme, fazem com que cada música da banda esteja na boca do povo. O sucesso é tão grande que muitos artistas conhecidos na grande mídia já regravaram músicas do Aviões como Asa de Águia, Jammil, Alexandre Pires, dentre outros. E como todo artista que se preze, eles também querem faturar com produtos que usem e abusem de sua marca. É rapaz! Se você pensa que é só U2 que pode ter Ipod, Chiclete com Banana que pode ter carro e Iron Maiden que pode ter camiseta está por fora.

Junto com a montadora nacional Traxx, a banda resolveu lançar sua moto própria: é a Aviões do Forró Traxx, que além de levar a marca da banda pelas estradas, ainda patrocina a inacabavel turnê dos gordinhos cearenses. É o forró e o marketing de mãos dadas. A propósito, fiquem com a já clássica “Quem é o Gostosão”, ao vivo no Dvd da banda (prestem atenção na imponência da bateria de Riquelme).

Até a Próxima


//twitter.do.caju

//twitter.do.hygino

//twitter.do.nico

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

//twitter.do.tico

//twitter.do.michel

//naftalina