Posts Tagged 'Economia'

Diamantes são eternos

A economia é realmente um negócio curioso. Quando pensamos que tudo no mundo tem um valor estabelecido por nós mesmos, ficamos intrigados pelo porquê de uma gostosa refeição italiana custar $3,90 aqui e mais de $100 reais aqui. Mas a resposta é simples, meus caros amigos. A culpa é e sempre será do marketing.

Tome como exemplo os diamantes. Mas aí vocês vão dizer: Como assim, Tico? Um diamante é caro porque é raro, difícil de lapidar e muito duro! – é aí, que vocês se enganam, zigotos de empreendedores. Os diamantes podem ser caros por esse motivo mas apenas são caríssimos pelo simples fenômeno da oferta e demanda aliado a uma poderosa gestão de marketing.

Nos anos 40, a moda era dar como alianças pedras exóticas como os rubis e esmeraldas. Eram coloridos, combinavam com as roupas, com os olhos, puro luxo. Foi aí que a DeBeers, o maior cartel de controle de diamantes brutos do mundo, teve uma grande idéia. Lançou uma famosa campanha que possuía o seguinte slogan: “Diamantes são para sempre”. Conhece essa frase? É que ela acabou virando um atributo do produto de tão repetida! A campanha dizia que diamantes sim, que custavam dois meses do seu salário, é que exprimiam seu verdadeiro amor pela sua noiva. Estava armada a demanda desenfreada por diamantes.

Mas depois que todos comprassem muitos diamantes, como acabar com o mercado secundário? A boa e velha compra e venda particular, o popular escambo? Simples, a campanha seguiu encorajando as pessoas a tratar seus diamantes como relíquias de família. Algo que nunca perderia seu valor e que só deveria ser vendido em situações extremas. Voilá!

O que ninguém pode dizer é que os diamantes não são pedras extremamente bonitas e que querendo ou não, são realmente os melhores amigos de uma garota:

Aquele abraço!

Um case de sucesso

Todo ser humano estudante de marketing, adminstração, gestão de negócios, ou qualquer outra coisa relacionada ao mundo mercadológico está cansado de se deparar com o estudo de cases, ou casos. Tive um professor que era muito fã deste método. Ele presenteava seus alunos com uma apostila repleta de artigos sobre cases de empresas que se deram bem, ou como manda dizer a tradição, cases de sucesso.
Porém, em nenhum destes anos o pobre professor se deparou com um case como esse:

PCC fatura 511% a mais em 2 anos e meio

São Paulo – O faturamento da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) cresceu 511% em dois anos e meio. Mesmo com todo o esforço das autoridades no combate ao tráfico de drogas e à lavagem de dinheiro patrocinados pelo crime organizado, o exército de criminosos chefiado por Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, lucra cada vez mais. A organização, que já se havia transformado em atacadista no mercado de cocaína no País, agora dá os primeiros passos no tráfico internacional de entorpecentes e busca um acerto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O crescimento dos lucros da organização é atestado em contabilidade apreendida em 28 de fevereiro com Wagner Roberto Raposo Olzon, o Fusca, tesoureiro da facção. Ali, é possível verificar que, em 7 de janeiro, o PCC fechou seu caixa dos 30 dias anteriores com R$ 4,89 milhões arrecadados. Em 2005, quando policiais civis apreenderam a contabilidade da cúpula nas mãos de Deivid Surur, o DVD – que, mais tarde, foi obrigado pela facção a se matar na prisão -, as contas somavam R$ 800 mil mensais e preenchiam 18 páginas de caderno escolar. Agora, ocupam 33 páginas – quatro em forma de planilha.

As contas revelam que o PCC mantém um consórcio de advogados pagos para defender seus interesses. Há 21 profissionais da advocacia relacionados na contabilidade, com salários de até R$ 10 mil mensais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Responda às seguintes perguntas, de acordo com o que leu no texto acima:

1. Qual é o setor e o grupo estratégico do PCC?

2. Em qual grupo estratégico o PCC pretende entrar?

3. Cite 3 importantes stakeholders do PCC.

4. Fudeu?

Um case de sucesso

Todo ser humano estudante de marketing, adminstração, gestão de negócios, ou qualquer outra coisa relacionada ao mundo mercadológico está cansado de se deparar com o estudo de cases, ou casos. Tive um professor que era muito fã deste método. Ele presenteava seus alunos com uma apostila repleta de artigos sobre cases de empresas que se deram bem, ou como manda dizer a tradição, cases de sucesso.
Porém, em nenhum destes anos o pobre professor se deparou com um case como esse:

PCC fatura 511% a mais em 2 anos e meio

São Paulo – O faturamento da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) cresceu 511% em dois anos e meio. Mesmo com todo o esforço das autoridades no combate ao tráfico de drogas e à lavagem de dinheiro patrocinados pelo crime organizado, o exército de criminosos chefiado por Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, lucra cada vez mais. A organização, que já se havia transformado em atacadista no mercado de cocaína no País, agora dá os primeiros passos no tráfico internacional de entorpecentes e busca um acerto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O crescimento dos lucros da organização é atestado em contabilidade apreendida em 28 de fevereiro com Wagner Roberto Raposo Olzon, o Fusca, tesoureiro da facção. Ali, é possível verificar que, em 7 de janeiro, o PCC fechou seu caixa dos 30 dias anteriores com R$ 4,89 milhões arrecadados. Em 2005, quando policiais civis apreenderam a contabilidade da cúpula nas mãos de Deivid Surur, o DVD – que, mais tarde, foi obrigado pela facção a se matar na prisão -, as contas somavam R$ 800 mil mensais e preenchiam 18 páginas de caderno escolar. Agora, ocupam 33 páginas – quatro em forma de planilha.

As contas revelam que o PCC mantém um consórcio de advogados pagos para defender seus interesses. Há 21 profissionais da advocacia relacionados na contabilidade, com salários de até R$ 10 mil mensais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Responda às seguintes perguntas, de acordo com o que leu no texto acima:

1. Qual é o setor e o grupo estratégico do PCC?

2. Em qual grupo estratégico o PCC pretende entrar?

3. Cite 3 importantes stakeholders do PCC.

4. Fudeu?

Zimbábue

Caros amigos, quantas vezes, quando éramos crianças, não brincamos de “stop” ou de qualquer outro jogo que demandasse certo conhecimento geográfico e nos gabávamos em falar Zimbábue, mostrando que conhecíamos, sim, países com nomes estranhos e desconhecidos por muitas pessoas? Pois é, se vocês não foram este tipo de criança, bem, eu fui. Mesmo não sabendo muita coisa – quase nada – sobre o país africano. Até ontem.

Estava eu fuçando na Internet, quando li uma notícia sobre o Zimbábue. Fiquei chocado e procurei mais coisas e vi que um jovem estava angariando fundos para seus estudos neste país. A idéia do rapaz era deveras simples: seguir o sucesso da página “The Million Dollar Homepage” (foto), feita por Alex Tew, que resolveu montar um site para descolar um dinheiro e, na época com 21 anos, conseguiu angariar 1 milhão de dólares vendendo pixels de sua página como se fossem terrenos. Cada pixel custava 1 dólar, totalizando 1 milhão de pixels/dólares
. Porém, este estudante africano resolveu “parodiar”, o site americano e criou o “The Million Zimbabwean Dollar Homepage”. Por que “parodiar”?

Bem, a idéia de ganhar 1 milhão de moedas locais soa sempre interessante em qualquer lugar do mundo – bem, é o que costumamos pensar. Mas o Zimbábue entrou em uma crise tamanha que a inflação anual ultrapassou a margem dos 100.000% – isto mesmo, cem mil por cento. Para ter uma noção do quanto isto é absurdo, pensem que se vocês, zimbabuanos, tivessem pago 1 moeda por quilo de feijão o ano passado, este ano vocês pagarão 10 mil moedas pela mesma coisa – acho que é isso a conta. Ou seja, o criador deste site africano espera conseguir com a venda do mesmo o equivalente a 33 dólares americanos. Uma merreca, se comparado a ilusão de 1 milhão de moedas. Seria cômico se não fosse trágico.

Nós do Mera Doxa já resolvemos ajudar este site e colocamos nossa marca lá. Pagamos o equivalente a 72 centavos de dólar para um espaço bonitinho. Além de ajudarmos, este site permanecerá no ar por 5 anos, então temos, pelo menos, uma propaganda de 5 anos, pelo preço de 72 centavos. Bom negócio, não? Aconselho vocês a fazerem o mesmo.

Clique aqui para comprar seu pedacinho de terra virtual.
Por enquanto, é só.
Hasta!


//twitter.do.caju

//twitter.do.hygino

//twitter.do.nico

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

//twitter.do.tico

//twitter.do.michel

//naftalina