Power Rangers tem a Força

Morfar foi um verbo que permeou minha infância. Mas, no dicionário você não deve acha-lo na definição que eu carrego para minha vida. Morfar é o ato da metamorfose que seres humanos fazem em sintonia mística com a força de um Pterodácitilo, Triceratops, Tigre Dente de Sabre, Mastodonte e Tiranossauro através de um relógio de apito característico e de um cinturão versão cowboy high-tech criados por um robo falante e uma cara dentro de um tubo de luz. Tudo isso para vencer o mal em uma metrópole chamada Alameda dos Anjos.

Como diriam ás sábias palavras de Sandy e Júnior, “Power Rangers tem a força, Power Rangers são heróis, juntos eles formam o poderoso Megazord, o mundo precisa de vocês”. Quantas manhãs no sofá assistindo na Tv Globo as peripécias desta gloriosa equipe de super-heróis. Mas, depois de anos da versão roots do seriado nissei-yankee, por onde andam Kimberly, Jason, Zack, Billy, Triny e Tommy? É o que veremos agora amiguinhos:

Tommy, o Ranger Verde que virou Branco – Jason David Frank: Esse aqui foi o que mais apareceu no seriado. E ponto. De resto, virou karateca profissional e segue carreira no esporte:


Zack, o Ranger Preto – Walter Jones: O Obama da Alameda dos Anjos, ganha o pão de cada dia dançando salsa em Detroit. O negão gente boa virou professor de ritmos latinos e já foi campeão de um importante campeonato deste tipo de dança, o Mayan International Salsa Championship, de 2004. Veja a atuação do cidadão:


Billy, o Ranger Azul – David Yost: O cara era uma mistura de ator pornô com nerd e não fez nada de muito interessante depois dos Rangers, então foda-se ele.


Jason, o Ranger Vermelho – Austin St. John: Foi outro que caiu nos braços do ostracismo depois da série. Seu grande feito pós power rangers é ser constantemente confudido com o ator pornô gay Brock Rox, coisa que ninguém ainda confirmou ou desmentiu.


Trini, a Ranger Amarela – Thuy Trang: A vietnamita teve um destino fatal. Em 2001 acabou falecendo em uma cidente de carro na Califórnia.


Kimberly, a Ranger Rosa – Amy Jo Johnson: Foi minha primeira musa. Sonhava com ela mais do que com qualquer professorinha do primário. Amy foi a única que realmente conseguiu um relativo sucesso na Tv depois dos Rangers. Participou de Felicity, onde interpretou Julie Emrick e já apareceu em uma série de filmes. Hoje ela interpreta a policial Jules em Flashpoint e também mantém uma carreira de cantora, cujo seu maior “sucesso” foi “Puddle Of Grace”, que vocês conferem abaixo:


Depois desse flashback temperado com um pouco de bonecos de massa deixo vocês com um clássico que sintetiza em muito daquilo que Power Rangers representou para qualquer criança que teve o prazer de viver na década de 90:

Participação especial de Priscila da Tv Colosso. Vergonha alheia é apelido carinhoso.

Aquele Abraço.

Anúncios

3 Responses to “Power Rangers tem a Força”


  1. 1 Epimetéia 27/01/2009 às 11:46 AM

    Com lágrimas nos olhos, agradeço o post. Juro.

  2. 2 Flavio 07/02/2009 às 6:10 PM

    Lembro da música “Puddle Of Grace” da Amy Jo Johnson, tocou nas radios aqui do Brasil tbm

    a música chegou atá a se posicionar na Billboard!

    Que saudade de todos!

  3. 3 antonio 13/12/2011 às 3:07 AM

    eu amava esses power rangers … Ainda acho que eles foram os melhores e não haverá substitutos nunca. Me faz chorar quando lembro deles.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




//twitter.do.caju

//twitter.do.hygino

//twitter.do.nico

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

//twitter.do.tico

//twitter.do.michel

//naftalina


%d blogueiros gostam disto: