Ainda na Fórmula 1…

Eu não me pronunciei em relação à minha previsão sobre o título de Massa, aqui no post de baixo, pois minha dor é muito grande. O misto e picos de sensações que o GP Brasil me proporcionou é indescritível. “Chega de emoção na Fórmula 1 por este ano”, pensei eu. Jovem, ingênuo. Um pequeno zigoto nesta vida tão grande. Nunca, em minha cabacice, poderia esperar a surpresa que tive ao ler esta notícia na UOL, hoje de manhã:


Barrichello puxa coro de xingamento a Schumacher em festa da Ferrari

Felipe Massa foi ovacionado pela torcida após quase levar o título em Interlagos, mas teve que passar por um constrangimento na festa da Ferrari que celebrou o encerramento da temporada e a conquista do título do Mundial de Construtores. O vice-campeão mundial foi o primeiro a acompanhar o coro puxado por Rubens Barrichello, que teria promovido um xingamento coletivo ao ex-piloto alemão Michael Schumacher. No GP, Barrichello se comportou e não obedeceu à torcida; na festa, ele se soltou De acordo com o jornal Lance, Massa chegou no local da festa, em uma boate de São Paulo, na madrugada de segunda-feira, acompanhado por esposa e amigos. Mas, logo que foi visto por Barrichello, foi puxado para uma área elevada do setor VIP. Aos gritos, Rubinho começou a entoar: “Schumacher, viado”.
Massa e o resto do público estranharam no princípio, mas depois acompanharam o desabafo de Barrichello, duas vezes vice-campeão mundial em temporadas vencidas pelo heptacampeão Schumacher. Ainda que o coro não passasse de uma brincadeira, Massa não escondeu seu constrangimento ao acompanhar Rubinho.
A festa da Ferrari teve distribuição de bebidas alcoólicas, e começou às 22 horas de domingo. Rubens Barrichello entrou na pista 267 vezes desde 1993 e é o piloto com o maior número de corridas disputadas. Mas o seu futuro para o ano que vem ainda está indefinido, já que a Honda não renovou o seu contrato. Caso nenhuma equipe se interesse no piloto, o Grande Prêmio do Brasil 2008 poderá ter sido o último de Rubinho.
Barrichello ficou na 15ª posição, enquanto Massa venceu a corrida de Interlagos. Nas arquibancadas, em meio à torcida pelo brasileiro da Ferrari, parte do público fez questão de pedir a ajuda do compatriota, através de cartazes com a mensagem “Bate nele, Rubinho, que o Brasil te perdoa”. “Ele”, o inglês Lewis Hamilton saiu do Brasil com o caneco nas mãos.

Mais uma vez, estou sem palavras. Aula de fanfarronice.

Rubens “Fanfarra” Barrichello. Mais um desempregado brasileiro.

1 Response to “Ainda na Fórmula 1…”


  1. 1 minicritico 05/11/2008 às 6:58 PM

    O termo “loser” é coisa de americano. É invenção deles. É exclusividade deles. É uma tremenda estupidez, pra falar a verdade. Mas perdão, eu não resisto. Sempre que falam essa palavra, me lembro desse cidadão calvo, americanizado, chorão, extremamente mal-sucedido em tudo que tentou e especialista em pretextos. Galvão Bueno e sua trupe ufanista, gananciosamente tentaram empurrar Rubinho goela abaixo dos brasileiros como um novo ídolo. Não adianta, nunca adiantou nem vai adiantar. Ídolos não precisam ser vencedores, mas precisam saber perder. E olha que Barrichello teve 267 chances pra isso e não aprendeu.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




//twitter.do.caju

//twitter.do.hygino

//twitter.do.nico

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

//twitter.do.tico

//twitter.do.michel

//naftalina


%d blogueiros gostam disto: