O Novo Sucesso Indie do Recife

A receita não é nova: pagode baiano, swingueira, o popular pagodão à lá Psirico, Guig Gueto, Fantasmão dentre outros grupos que pipocam na capital baiana fazendo sucesso regional (as vezes até nacional) com o ritmo, muitas vezes erroneamente confundido com o axé. Mas, as semelhanças param por aí. O novo som que anda fazendo sucesso no popular e sempre revolucionário mercado fonográfico nordestino vem do Morro da Conceição, na Casa Amarela, bairro do subúrbio do Recife. Num local onde influências que vão do Maracatu ao Brega, se convergem nasceu e cresceu João Pereira da Silva, 35 anos, cara de costumes simples, humor diferenciado e de observação ímpar. Ele hoje é o popular João do Morro, cantor de pagodão, de sucessos como “As Nega Endoida” (sobre o famoso “Sucesso”, o cheirinho de loló), “Balaiagem” (sobre o que a mulherada da periferia faz pra ajeitar o cabelo) e “3 Segundos” (sobre como celular ficou popular no subúrbio), que caiu nas graças do povo e, por mais incrível que pareça, crítica pernambucana.


Ao contrário do jornalismo e do circuito do rock-pop baiano que costuma não olhar o positivo atrás das músicas de artistas populares daquele estado, considerando-as pobres por completo, em Recife, um boom como o João do Morro ganhou elogios entre a crítica especializada e até na famosa cena Indie local. Essa cena, em constante ebulição a mais de uma década, com bandas endeusadas em todo Brasil, como Nação Zumbi, Cordel do Fogo Encantado, Mombojó, Mundo Livre SA, China, dentre muitas outras e com festivais famosos nacionalmente como Coquetel Molotov e o Abril Pro Rock, resolveu tirar o chapéu para o som do morro. Blogs que acompanham o mundo indie pernambucano como O Grito! e Recife Rock, rasgaram elogios para João do Morro, que segundo eles faz um retrato fiel, nú, sem apego a intelectualidades, do meio onde ele vive, trazendo gírias (como “frango”, que é gay) e mostrando casos reais da periferia sempre com muito bom humor.

Apoiado por esta cena, João do Morro resolveu utilizar a internet pra se divulgar. Hoje o cara tem perfil no Orkut, LastFm, Youtube e até MySpace (onde é amigo de todas as bandas famosas da capital pernambucana e até da Mallu Magalhães). O cara virou o Hype da periferia. Cadernos dos maiores jornais de lá fizeram matérias com ele. Professores de universidades já fazem ensaios sobre o que representa o seu sucesso. Casas de show dos bairros nobres o recebe de braços abertos. E como não podia faltar, polêmicas surgiram envolvendo seu nome. Uma delas por causa da música “Papa Frango” que conta a, convenhamos, comum história em periferias, de rapazes que recebem presentes de homossexuais em troca de relações com eles. Entidades ligadas a defesa dos direitos da comunidade GLS se sentiram ofendida e ameaçaram o processar. Argumentos na mídia não faltaram em favor de João e o problema se resolveu.


E essa história só ta começando. Para se ter uma idéia, João do Morro e Os Caras (nome de sua banda de apoio), com a já comum forma de divulgação fonográfica do Nordeste, com produções independentes (com cds gravados ao vivo, de maneira as vezes toscas) e a utilização da pirataria em favor dos artistas, já causou tanto reboliço que Gutie, famoso produtor do Cordel do Fogo Encantado e do festival Rec Beat virou seu empresário. Ele já trouxe João a São Paulo para marcar datas de shows e até estudar propostas de gravadoras. Não dou um ano pra esse cara ser sucesso em todo o país e, sinceramente, tomara que seja mesmo, afinal aqui está um caso típico de um cara que só quer gerar felicidade de forma simples, com crônicas do seu dia-dia, do dia-dia do seu povo, sem preocupações com perfeccionismos ideológicos que muitas vezes tiram a beleza das coisas. Nada de mudar o mundo, nada de revolução, apenas geração de alegria original que só poderia ter saído do morro, com uma das formas mais rock´n roll de se fazer música, o deboche. João do Morro, para a alegria do povo e dos não hipócritas indies recifenses.

Sucessos de João do Morro:

As Nega Indoida (Sobre o “Sucesso”, o Loló, lança-perfume caseira)
João do Morro – As Nega Indoida

Papa-Frango (sobre o tipo de relação homossexual que faz sucesso na periferia)
João do Morro – Ei Boyzinho, Você é Papafrango

3 Segundos (sobre a popularização do celular) e Sinal de P… (Sobre as mulheres que adoram um homem com moto)
João do Morro – Três Segundos e Sinal de P…

Balaige (sobre mulheres e seus tratamentos de cabelo)
João do Morro – Pisa de Balaiage

Genial!
Aquele Abraço

(Dicas de Mano Brown e Juarez)

1 Response to “O Novo Sucesso Indie do Recife”



  1. 1 João do Morro is back « Mera Doxa Trackback em 23/10/2009 às 6:34 PM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




//twitter.do.caju

//twitter.do.hygino

//twitter.do.nico

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

//twitter.do.tico

//twitter.do.michel

//naftalina


%d blogueiros gostam disto: